12 de agosto de 2018

Domingo (12/08), terceiro dia de caminhada da Marcha Nacional Lula Livre. foi marcado por homenagens a Marielle Franco e por denúncias dos desmontes praticados pelo governo ilegítimo de Michel Temer.

Formada por três colunas, mais de cinco mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e de movimentos da Via Campesina partiram, no último dia 10, das cidades de Formosa (GO), Luziânia (GO) e Engenho das Lages (DF). Eles vão percorrer cerca de 50 km até chegarem a Brasília, na quarta-feira (15), onde participarão de um grande ato para garantir o registro da candidatura da chapa de Lula no Tribunal Superior Eleitoral.

Por volta das 7h desse domingo, Dia dos Pais, os integrantes da Coluna Prestes saíram da cidade de Valparaíso e percorreram cerca de 15 quilômetros até chegarem em Santa Maria (GO). Durante a caminhada, a luta de Marielle Franco e o extermínio da juventude negra foram lembrados pelos manifestantes.

“Marielle foi uma guerreira enquanto estava aqui na terra com a gente. Mataram ela por causa disso e, principalmente, porque ela lutava por nós. Colocamos o nome em homenagem a ela, para nos dar ânimo e força”, disse a paulista Maria Leni da Silva.

Nesse terceiro dia de Marcha, os trabalhadores da Coluna Ligas Camponesas saíram de Planaltina (GO) às 6h30 e caminharam até a cidade de Sobradinho (GO), com paradas durante o trajeto para denunciar os retrocessos do governo ilegítimo de Michel Temer.

“Quem marcha por Lula Livre, marcha pela democracia, pela soberania e para denunciar todos os golpes dentro do golpe, como reforma trabalhista, Previdência, privatização da Eletrobras e Petrobras, congelamento da saúde e educação”, disse Fernanda de Oliveira, dirigente do Movimentos dos Atingidos por Barragens.

Exigindo a liberdade do ex-presidente Lula, preso desde abril na sede da Polícia Federal em Curitiba, os integrantes da Coluna Tereza de Benguela saíram logo nas primeiras horas do dia da cidade de Samambaia e marcharam por 8 km até Taguatinga.

“Esta marcha tem um significado importantíssimo para a retomada da democracia no Brasil; por isso, todos os brasileiros que lutam por Justiça e por um mundo melhor estão aqui para defender que o Lula possa se candidatar nessas eleições”, concluiu a professora Maria Menezes Bonfim.