04 de dezembro de 2018

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski pediu, nesta terça-feira (4), o imediato cumprimento da decisão que autorizou que Lula conceda entrevistas para veículos de comunicação. A autorização do magistrado estava suspensa por conta de uma liminar do presidente da Corte, Dias Toffoli, que acatou o argumento de que uma entrevista do ex-presidente poderia influenciar nas Eleições 2018. Com isso, ele pede que Toffoli autorize a entrevista.

Como o pleito já passou, Lewandowski afirmou que a liminar do presidente do STF está esvaziada e não há mais obstáculos para que as entrevistas ocorram. No despacho, o magistrado pede que Toffoli decrete que a liminar foi prejudicada e autorize o jornalista Florestan Fernandes Júnior a entrevistar Lula.

O pedido de Lewandowski ocorre após uma verdadeira batalha de decisões monocráticas entre os ministros do STF. Durante o período eleitoral, o ministro autorizou a conversa de Lula com jornalistas, mas liminares do presidente da Corte e do vice-presidente, Luiz Fux, suspenderam os efeitos da decisão do colega. O episódio provocou uma crise interna.

Na época, Fernandes Júnior criticou a decisão e disse que as liminares tiraram-lhe “o direito de cumprir o papel de bem informar a população”.

Da Agência PT, com informações do Jota