21 de junho de 2022
Foto: Ricardo Stuckert

Em ato de lançamento das diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou a importância da participação da sociedade na definição das políticas, para exercício da cidadania, e comparou a elaboração de um programa de governo à construção de uma casa, que precisa de bases sólidas.

Na analogia da construção da casa, as diretrizes – que destacam a urgência do combate à fome e à pobreza; a retomada do investimento para gerar crescimento e emprego; o combate à inflação e a redução do custo de vida; a defesa da Amazônia, o respeito às leis ambientais e a proteção dos povos indígenas; além da defesa da democracia, da justiça, da paz, da soberania e da reinserção do Brasil no mundo – serão a base.

“Vamos ter que construir a casa ao longo do tempo, ouvindo as pessoas através da plataforma, mas, principalmente, executando as políticas que quisermos, se ganharmos as eleições. (…) Vamos ter que ter os tijolos dessa parede que significam acabar com a fome outra vez nesse país. Vamos ter que ter os tijolos que significam aumentar o salário mínimo, e vamos construindo, tijolo por tijolo, até chegar na cobertura da casa que é o material da soberania”, disse.

De acordo com Lula, o país não será soberano apenas porque cuida de suas fronteiras terrestres e marítimas e do espaço, mas quando o povo for soberano, tiver emprego, educação, salário e o que comer. “Um país só será soberano quando seu povo tiver conquistado uma cidadania digna que todo mundo tem direito, que está na nossa Constituição, que está na Declaração Universal dos Direitos Humanos e que está, inclusive, na Bíblia. O problema é que nós não conseguimos construir esse mundo que já está escrito. E o desafio nosso para construir isso aqui é ganhar as eleições”.
Lula falou que um programa de governo pode ser executado em sua plenitude e que deve ter apenas o que pode ser executado.

Ele destacou a importância da aliança plural que compôs com sete partidos, que criaram em consenso as diretrizes, e que tem o ex-governador Geraldo Alckmin com o pré-candidato a vice.

O ex-presidente defendeu a participação da sociedade na construção do plano de governo, o que pode ser feito por meio de plataforma lançada hoje junto com as diretrizes. Ele defendeu que a plataforma seja reproduzida para composição do orçamento nacional, num eventual novo governo.

“Querermos que a sociedade brasileira assuma a plenitude de sua responsabilidade e diga, eu elegi vocês, mas eu quero participar da minha governança, dar meu palpite”.

Lula destacou a importância de o Estado atuar como indutor da geração de emprego e defendeu a reconstrução do pacto federativo com os governadores sinalizando as prioridades em infraestrutura, especialmente nas áreas de Saúde e Educação. Ele repetiu que, se eleito, convocará reunião com todos os 27 governadores para que essas prioridades sejam discutidas.

Assista o vídeo sobre a Plataforma Digital Juntos pelo Brasil:

Assista na íntegra: