28 de outubro de 2021
Foto: Ricardo Stuckert

Em entrevista à rádio Jovem Pan Sorocaba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enumerou os avanços alcançados pela localidade durante as gestões do PT e afirmou que a transformação vivida pela região paulista é o modelo que se quer voltar a espalhar pelo Brasil. Ao longo da conversa, Lula lembrou que a região de Sorocaba recebeu dois campi da Universidade Federal de São Carlos, abriu 33 unidades do Instituto Técnico Federal e foi o destino de investimentos de grandes empresas do setor automotivo.

“Quando eu entrei na Presidência, Sorocaba tinha uns 20 mil metalúrgicos, no auge, chegou a 45 mil postos de trabalho na indústria metalúrgica. A economia de Sorocaba era uma economia pujante”, afirmou o ex-presidente, lembrando que a Toyota anunciou a abertura de uma unidade montadora durante seu governo, em 2008, e inaugurada na gestão da presidenta Dilma Rousseff. “E é essa Sorocaba que nós queremos que o Brasil seja todo assim: uma cidade viva, uma cidade ativa, geradora de emprego, de qualidade de vida para as pessoas.”

As transformações vividas pela região nas gestões do PT permanecem como um grande potencial de desenvolvimento. “Em Sorocaba, você tem um pólo de serviços muito forte, um pólo técnico muito forte, tem uma riqueza extraodinária que são as escolas técnicas e as universidades, que ajudam a desenvolver a região.”

VEJA TAMBÉM: Lula: é preciso colocar dinheiro na mão do povo para economia crescer

Apesar disso, o presidente mostrou-se preocupado com o aumento da pobreza e da miséria, o que é visível nas ruas da cidade, que tem cada vez mais gente pedindo ajuda nos semáforos. Lula lembrou que, durante as gestões do PT, o governo espalhava desenvolvimento, “enquanto Bolsonaro espalha a miséria”.

A solução, segundo Lula, é voltar a ter uma política de Estado que seja pautada pela parceria e não pelo ódio. “Você nunca viu a gente deixar de investir dinheiro em São Paulo, que é o estado mais rico da federação, por conta de ser governador de partido adversário. Eu não olhava de que partido era o governador, eu olhava a necessidade do estado”, comentou Lula.

Essa lógica também vale para as relações internacionais. Ressaltando que quase um terço da economia de Sorocaba está ligada às exportações, Lula também comentou sobre a necessidade de o Brasil retomar boas relações com o maior número de países. “A gente não vai comprar nem vai vender se ficar arrumando inimigo.”