30 de setembro de 2018
Foto: Nina Moreira

No Brasil e no mundo, o recado foi dado: Ele Não!!! Organizados por mulheres de todo o país, vários atos aconteceram simultaneamente em todas as capitais brasileiras, em outras cidades aqui e no exterior, reunindo multidões. Pessoas de todas as raças, idades e gêneros foram às ruas lutar contra o retrocesso que representa o candidato Jair Bolsonaro. Um dia histórico, a mais coletiva aula de ciência política que pode experimentar uma nação.

Multipartidários, os protestos celebraram a democracia, acima de tudo! Manuela d’Ávila, candidata a vice-presidente de Fernando Haddad, na chapa da coligação “o povo feliz de novo”, foi ao ato de São Paulo, no largo da Batata, em Pinheiros. Mulher de luta, com uma trajetória brilhante na política brasileira, desde a adolescência, Manu, acompanhada de sua filha, Laura falou sobre a importância desses atos, que extrapolaram o Brasil.

“No mundo inteiro as brasileiros e brasileiros disseram não a quem defende a tortura, a quem não defende a democracia, a quem diz que as mulheres, os negros e negras, os LGBTs e os indígenas não merecem ser respeitados. As mulheres são nossa voz, nossa esperança de um Brasil justo e desenvolvido. E o mais bonito é que aqui tem mulheres que votam em muitos candidatos diferentes. No Brasil inteiro é assimNão é um candidato só.  É um grito em defesa da nossa pauta mínima. E o mínimo, pra nós, é o respeito a nossa vida, a nossa dignidade, a nossa contribuição. O Brasil só vai ser grande o dia que ele for das mulheres e de todo o povo brasileiros.