11 de agosto de 2018

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e de movimentos da Via Campesina deram início, na manhã deste sábado (11/08), à Marcha Nacional Lula Livre, que tem como objetivo defender a libertação do ex-presidente e o seu direito de participar do processo eleitoral em outubro.

Mais de cinco mil militantes vão percorrer 50 km até chegar a Brasília no próximo dia 15, data do registro da candidatura de Lula à presidência no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A marcha conta com três colunas e cada uma delas é composta por trabalhadores de diferentes partes do país. Por volta das 12h, a Coluna Prestes, que reúne militantes do Sul e do Sudeste, chegou a Valparaíso de Goiás, após caminhar cerca de 18 km. No dia 14 de agosto, os manifestantes chegam à capital federal para participar de um ato em apoio ao ex-presidente Lula.

A Coluna Ligas Camponesas reúne os militantes de oito estados do Nordeste. Eles saíram da cidade de Formosa (GO) e, por volta das 11h, caminhavam pela BR 20 denunciando as consequências da crise econômica, agravadas pelas medidas de austeridades do governo ilegítimo de Michel Temer.

Já era mais de meio-dia quando os integrantes da Coluna Tereza de Benguela chegaram à cidade-satélite de Samambaia (DF), após marcharem 16 km. O grupo, com 1500 militantes da região Norte e Centro-Oeste do país, saiu por volta das 6h30 de Engenho das Lages (DF) denunciando os ataques à democracia e as ilegalidades jurídicas e legislativas que têm ocorrido no Brasil.

No dia 15, todos os integrantes da Marcha Nacional Lula Livre estarão em Brasília para compor uma grande concentração de trabalhadores de diferentes movimentos populares, que vão acompanhar e garantir o registro da chapa de Lula no TSE.

Confira a cobertura minuto a minuto da Marcha realizada pelo Brasil de Fato