22 de outubro de 2021

A volta da fome é uma realidade cada vez mais marcante no Brasil de Bolsonaro. São mais de 116 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar – 20 milhões de brasileiros passam mais de 24 horas sem comer nada. Ao longo da última semana, viralizou vídeo em que famílias reviram caminhão de lixo em busca de alimentos, no Ceará.

Nas palavras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva“A fome não é um fenômeno da Natureza. A fome é falta de vergonha na cara de quem governa esse país”. Em seus mandatos, Lula e o PT provaram que, com vontade política, é possível vencer a fome no Brasil. Diante da negligência criminosa de Bolsonaro, que tem como única estratégia de governo a mentira, a fome volta a assolar milhões de famílias brasileiras.

Ao contrário da inação do governo, movimentos sociais como o MST nunca deixaram de lutar contra a fome e contra a desigualdade social no Brasil. Integrantes de diversos movimentos sociais buscaram as famílias que aparecem no vídeo viralizado, buscando comida no lixo, e fizeram doação de alimentos.

Os movimentos populares do Ceará doaram cestas básicas para essas famílias, que se encontram em situação de miséria. As cestas doadas tinham, entro outros itens, arroz, feijão, abóbora, farinha, coco e rapadura de caju, produzidos em assentamentos e acampamentos do MST no Ceará.

A ação foi realizada nesta quarta-feira (20/10), a partir de uma parceria entre MST, Movimento dos Trabalhadores Por Direitos (MTD), Consulta Popular (CP), Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB) e Levante Popular da Juventude (LPJ).

A doação dá continuidade às ações de solidariedade que os movimentos populares têm desenvolvido desde o início da pandemia, com o aumento da fome.

O MST já doou mais de 5 mil toneladas de alimentos e 1 milhão de marmitas em todo o país.

Para Gene Santos, da Direção Nacional do MST no Ceará, é perceptível o aumento da miséria e da fome no Brasil e no estado.

“Nós não podemos encarar isso com naturalidade, é com muita indignação que nós vimos as imagens em que homens e mulheres recolhem comida do lixo para se alimentar. Então, diante dessa situação estamos mais uma vez realizando uma ação de solidariedade, mas principalmente uma ação de denúncia para demonstrar que este é um problema grave que precisa ser encarado com políticas públicas para resolver a situação da fome”, disse o dirigente.

Maria de Lourdes, moradora do bairro Vicente Pizon, uma das mulheres que aparecem no vídeo procurando alimentos no carro do lixo, relata que essa é uma situação corriqueira entre as famílias que passam fome no local.

“Aqui, nós não temos como garantir nosso alimento, então a alternativa é vir esperar o carro do lixo passar, catar os alimentos que são descartados pelos supermercados. É isso, ou não ter nada pra comer. A gente passa a manhã toda esperando no sol e, às vezes, nem água pra beber. Queremos trabalho. A falta de alimento, a fome bate na nossa porta todos os dias, então agradeço muito a vocês pela ajuda”, relata a moradora.

Segundo o dirigente do MST, para resolver a situação da fome “se faz necessário ter uma política de Reforma Agrária de verdade, que distribua terras, acesso à água, uma política de emprego e renda e de habitação para que o povo possa viver com dignidade”.