16 de setembro de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

O candidato à presidência pela coligação “O povo feliz de novo”, Fernando Haddad (PT), visitou a Paulista Aberta, em São Paulo, neste domingo (16/9). Em breve entrevista à imprensa, Haddad reafirmou que o projeto de governo do PT é de desenvolvimento com inclusão. “O povo é solução, não é problema”.

De acordo com Haddad, o país anseia por virar essa página de descaso com o povo brasileiro. “A vida do povo está sofrida. Precisamos nos unir em torno de solução para sair dessa crise. Eu acredito que teremos ampla maioria depois das eleições”, afirmou, em relação ao plano de governo.

Ele lembrou que, na ocasião do registro da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente pediu que seu processo fosse julgado com imparcialidade, como a ONU também determinou. “A ONU está pedindo para que o ex-presidente Lula tenha um julgamento justo. Se a ONU está pedindo, é porque tem alguma razão. Esse processo chamou a atenção de diversos chefes de Estado no mundo todo”.

O candidato falou sobre a importância da união das várias forças políticas após o resultado das eleições, afirmando que quem ganhar e quem perder as eleições têm que colocar os interesses do país acima das questões partidárias. “Não pode mais acontecer o que houve em 2014”, afirmou. Ele disse que muitas pessoas que apoiaram o golpe estão revendo suas posições em virtude do fracasso do governo Temer com o PSDB. “O próprio PSDB já declarou que não devia ter embarcado nesse governo. Essa autocrítica que o PSDB fez é importante. Constrói possibilidades e diálogos após as eleições”.

Haddad falou ainda sobre a importância de políticas de fomento à cultura, que precisam ser descentralizadas, com foco nas periferias e na regionalização para além do eixo Rio-São Paulo.