21 de setembro de 2018

Nesta sexta-feira (21/09), o candidato à presidência Fernando Haddad visitou a cidade histórica de Ouro Preto (Minas  Gerais) ao lado de sua candidata à vice, Manuela D’Ávila, da presidenta eleita e candidata ao senado pelo estado, Dilma Rousseff, e do governador e candidato à reeleição, Fernando Pimentel.

Em visita ao Museu da Inconfidência, Haddad assinou uma carta-compromisso com os museus e com o patrimônio histórico, que foi lida durante comício, na Praça Tiradentes. Na carta, Haddad se compromete a retomar os investimentos na área da cultura e da educação, garantindo proteção aos museus brasileiros e ao patrimônio histórico.

Durante o ato, o ex-ministro da Educação de Lula lembrou que os governos petistas ampliaram o número de câmpus de universidades federais de Minas. “Nós dobramos as vagas em universidades e tivemos o cuidado de reservar 50% de vagas para os egressos de escolas públicas”, disse. “Nós tínhamos o maior contingente de jovens fora das universidades da América Latina e nós corrigimos isso com um presidente sem diploma universitário”, afirmou Haddad, ao lembrar que foi como ministro de Lula que criou o ProUni, Reuni e o Sisu. “O metalúrgico que chegou no poder mostrou que o Brasil não era o país do futuro, e sim o país do presente”.

Haddad disse que o povo precisa ir às urnas no dia 7 de outubro para dizer que quer ser feliz de novo. “Nós temos que convocar a cidadania e resgatar o Brasil para os brasileiros. Nós temos que convencer pessoas em casa e no trabalho que nós podemos voltar a sonhar”, disse Haddad.

A candidata à vice-presidência, Manuela D’Ávila, sob muitos aplausos, afirmou que será Minas quem devolverá Dilma para Brasília. “Cada jovem mineiro que perdeu seus benefícios vai devolver Dilma para Brasília. A nossa missão é fazer desses dias de primavera a retomada do nosso Brasil dos sonhos. Será a primavera dos brasileiros que querem fazer o Brasil feliz de novo”.

Candidata à senadora, Dilma reafirmou seu respeito e amor por Ouro Preto. “Foi aqui que o Brasil começou a virar um país independente. Nós temos que honrar essa história tendo lado nessas eleições. O lado do Minha Casa Minha Vida, o lado do Brasil que tirou 36 milhões da miséria e que elegeu a primeira mulher presidenta do Brasil”.

Durante entrevista coletiva em Ouro Preto (Minas  Gerais), prévia ao ato, Haddad falou sobre o simbolismo da visita à terra de Tiradentes, em analogia à injustiça que o ex-presidente Lula vem sofrendo.