04 de outubro de 2016

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu hoje no Rio de Janeiro com sindicalistas de vários países do mundo durante o Congresso da Industriall, dos sindicatos de trabalhadores industriais. Entre os participantes do evento, estavam os representantes dos trabalhadores dos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Suécia, Espanha, Canadá, Argentina, Itália, Reino Unido, Indonésia, França e Uruguai.
 
Lula falou sobre a luta pela preservação dos direitos dos trabalhadores, no Brasil e no mundo. Comentou da sua experiência como presidente, onde em reuniões de líderes globais pouco se ouve sobre os trabalhadores e seu direitos. “Os trabalhadores têm pouca incidência sobre a decisão dos governantes do mundo”. Lula conversou com eles sobre como sua experiência e de outros líderes de esquerda da América do Sul trabalharam para aumentar o espaço para a voz dos trabalhadores e ampliação dos direitos.
 
Sobre o atual momento do Brasil, disse que teremos que lutar como quando ele era jovem para que nossos netos tenham direitos. Chamou a atenção para a PEC 241, que quer colocar um teto nos gastos de saúde e educação por 20 anos, para a reforma da previdência, e a mudança da lei de acesso ao petróleo do pré-sal, que irá tirar o dinheiro que iria para um fundo de educação com a extração de petróleo.
 
“Nesses 13 anos tivemos  os maiores avanços sociais, salariais, de direitos dos trabalhadores da nossa história. E tudo isso pode ruir se não recuperarmos a democracia no Brasil”, alertou Lula.