25 de setembro de 2018

Nesta terça-feira (25/09), às 16 horas, acontece a concentração da “Primavera das Mulheres – Sou mulher, voto 13” na Praça da República, no Centro da cidade de São Paulo.

“Só existe Brasil feliz de novo com a participação das mulheres (…). Estamos na luta para a retomada das políticas públicas das mulheres, uma luta por igualdade”, dizem as organizadoras, em vídeo, nas redes sociais.

Da Praça da República as mulheres sairão em marcha com a candidata à vice Manuela D’Ávila, às 17h30, até a Praça Ramos, onde ocorrerá um comício com a presença de diversas candidatas do PT e com o candidato a presidente Fernando Haddad. “Vamos caminhar junto com o Haddad e a Manu e junto com as nossas candidaturas e os movimentos de mulheres e o movimento popular, que acredita que o nosso país pode voltar a ser feliz de novo. Vem com a gente!”, incentiva Anne Karolyne, secretária nacional de mulheres PT.

Anne explica que “a Primavera das Mulheres é um ato simbólico, mas representa tudo aquilo que a gente quer para um novo governo, que as mulheres sejam a prioridade nas Eleições. É também um ato para reafirmar de que lado nós estamos na luta contra o fascismo, contra o ódio e intolerância”.

“A Primavera das Mulheres é também uma luta pela retomada das políticas públicas promovidas pelos governos do PT, porque foi a partir do Lula que as mulheres passaram a ter prioridade no Brasil, tanto com programas como Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida, quanto com o acesso à universidade”, esclarece Anne.

Convocatória: Por direito, soberania e democracia

“Chegou a nossa hora de virar o jogo e garantir que o Brasil retome o caminho do desenvolvimento e da geração de emprego e dizer não para o fascismo, para o ataque aos nossos direitos, os direitos feministas.

Vamos estar na rua falando desse momento e da importância das mulheres participarem na política.

As mulheres sempre foram fundamentais nas transformações do país e o Brasil precisa ser feliz de novo.

Nossa primavera vermelha vai derrotar os golpistas e vai colocar Haddad lá no Palácio do Planalto a partir de primeiro de janeiro.

Em defesa da democracia, em defesa da soberania, Lula Livre.

E é agora, é esse momento.

Bora mulherada, para a mulherada ser feliz de novo.”