26 de março de 2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou neste domingo (25) sua passagem pelo estado de Santa Catarina. O próximo destino agora da caravana Lula Pelo Sul é o estado do Paraná. Para se despedir do povo catarinense, Lula participou de um ato cultural na cidade de São Miguel do Oeste, onde uma multidão se aglomerou na praça Walnir Bottaro Daniel para ver o ouvir o ex-presidente.

“Eu estou fazendo essa caravana pra conhecer um pouco vocês. Assim, eu sempre descubro coisas novas. Hoje descobri que as cooperativas não pagam o mínimo pro pequeno produtor de leite. Cadê o governo?”, questionou Lula ao comentar sobre sua visita à Cooperativa Regional de Comercialização do Extremo Oeste (CooperOeste), onde conversou com agricultores familiares e ouviu sobre os problemas que os trabalhadores estão enfrentando. “Como pode alguém que acorda todo dia às 4h pra ordenhar as vacas não receber nem o custo de produção quando vai vender o leite?”, disse indignado.

Durante o ato de encerramento, manifestantes contrários ao ex-presidente usaram novamente da violência para exteriorizar o ódio contra o maior presidente do Brasil, jogando ovos covardemente do alto de um prédio em direção ao palco. “Eles acham que a gente vai ficar bravo, querer brigar. A gente não faz isso. A gente espera que a Polícia Militar faça o trabalho dela, inclusive porque tem crianças aqui”, reforçou Lula.

Para o ex-presidente, a raiva que a elite brasileira sente contra ele é consequência das transformações sociais que os governos do PT promoveram no país. “Eles estão com raiva porque sabem que, apesar de eu não ter um diploma universitário, fui o presidente que mais criou universidade. Como eu nunca tive oportunidade de estudar, eu quero que os filhos dos pobres tenham a oportunidade que eu não tive. A elite manda os filhos pra Boston, pra Nova York. Eu não, quero universidade aqui, em São Miguel do Oeste”, declarou Lula, citando ainda programas como Pronaf, o Luz pra Todos e o Água para Todos como exemplos de iniciativas que mudaram a vida da população do campo.

“Eles torcem pra eu ser preso, achando que assim vão me calar. O que eles não sabem é que Lula são milhões e milhões de trabalhadores. Querem me prender para me impedir de andar por esse país. São tolos, pois eu andarei pelas pernas do povo”, garantiu.

Lula Pelo Paraná

Nesta segunda-feira (26), a caravana Lula Pelo Brasil segue para a cidade de Francisco Beltrão (PR), onde o ex-presidente participa de um ato com trabalhadoras e trabalhadores da agricultura familiar.

Veja como foi o ato em São Miguel do Oeste: