20 de maio de 2013

Criada em 1963 como o nome de Organização da Unidade Africana numa época em que muitos países ainda lutavam pela sua independência, a União Africana comemora, nesta semana, seus 50 anos de existência. De hoje ao dia 27 de maio, a entidade organiza uma série de comemorações para marcar a data em Adis Abeba, na Etiópia, sede da organização. Além de eventos esportivos e culturais, a entidade está organizando um ciclo de debates com o tema  “Pan-africanismo e Renascimento Africano” e a 21ª Assembleia dos Chefes de Estado e de Governo (26 e 27/5). No dia 25, quando também é comemorado o Dia de África, a presidente Dilma Roussef participará da sessão solene comemorativa do aniversário da entidade.

Assim como o ex-presidente Lula, a política externa de Dilma privilegia as relações com países do Hemisfério Sul, sobretudo da África e América Latina. Em fevereiro, a Presidenta participou da 3ª Cúpula América do Sul – África, em Malabo, Guiné Equatorial, e visitou a Nigéria. Em março,  esteve no encontro do Brics, grupo constituído pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul, realizada na cidade de Durban, na África do Sul.

A União Africana tem como objetivo promover a integração entre os países membros e trabalhar de forma conjunta para combater os inúmeros problemas ainda enfrentados pelo continente mais pobre do mundo. Apesar de estar crescendo em média 4% ao ano, a África ainda tem quase metade da população vivendo com menos de 1,25 dólar por semana e 239 milhões de pessoas – quase um quarto da população – em situação de insegurança alimentar.

Dia da África no Brasil

No Brasil, o Presidente do Instituto Lula participará de dois eventos ligados à comemoração do Dia da África. No dia 22, Lula estará no seminário “As Relações do Brasil com a África, a Nova Fronteira do Capitalismo Global”, realizado na CNI pelo Valor Econômico, onde participará de um jantar para convidados. No dia 27, Lula irá às comemorações organizadas pela Prefeitura de São Paulo.