22 de março de 2022

Além de desmentir as fake news espalhadas pelas milícias digitais, o Verdade na Rede tem também o papel de mostrar como se descobre uma notícia falsa. Muito dessa desinformação aparece repetidamente, voltando sempre às redes e aplicativos de conversa. Por isso, é fundamental ter um olho treinado e seguir o Tutorial para reagir aos boatos e falsificações.

As fake news aparecem nos formatos mais variados: vídeos editando ou descontextualizando falas e acontecimentos; áudios editados ou distorcidos; imagens falsificadas, notícias antigas tiradas de contexto, informações, dados e números errados, etc. Levantamos aqui algumas dicas para identificar se a mensagem que vocês recebem nas redes, no WhatsApp ou Telegram, corresponde à realidade. Vejam algumas dicas:

  1. Não pare no título, é importante ler tudo – Muitos conteúdos falsificados trazem títulos escandalosos com pouca relação com o texto. Por isso, é importante ler toda a publicação antes de compartilhá-la. Isso diminui, e muito, as chances de divulgar uma mentira.
  2. Cuidado com os chamados – Se, ao longo do texto, você encontrar chamados para ação como “Faça esse conteúdo chegar a todos seus contatos”, “a mídia quer esconder isso”, cheque duas vezes a procedência e a confiabilidade do que está sendo divulgado. Há grandes chances deo conteúdo não ser confiável.

3. Verifique a data da publicação – Um dos recursos mais comuns dos divulgadores de fake news é tirar notícias velhas de contexto. A milícia digital bolsonarista adora divulgar pesquisas eleitorais de 3 anos atrás ou notícias sobre protestos de 5 ou 6 anos atrás e dizer que elas são de hoje. O objetivo é distorcer a realidade. Por isso, vale sempre conferir a data do link que te enviam.

4. Desconfie de quem só compartilha o print de notícias – Outro recurso comum das milícias digitais é divulgar prints falsos de grandes portais ou de conversas em redes sociais como se fossem notícias reais. Não exige muitos recursos fazer esse tipo de falsificação. Por isso, sempre peça o link da matéria a quem está divulgando e procure o título da matéria em seu buscador de preferência. Se ele não aparecer, as chances de que a notícia é falsa são bem altas.

5. Fake news usam textos alarmistas e chamativos – Os divulgadores de desinformação adoram títulos provocativos, que parecem um chamado para a briga. Eles são usados para despertar a curiosidade do leitor. No entanto, este objetivo de conseguir cliques quase sempre vem acompanhado do pouco compromisso com a verdade.


6. Notícias exageradas no geral são mentira – Atenção: se uma notícia parecer muito espalhafatosa, talvez seja justamente porque ela não existe. As milícias digitais adoram utilizar declarações e acusações exageradas e inventar eventos escandalosos que nunca existiram. O objetivo é colocar lenha na fogueira e mobilizar os leitores no compartilhamento. Não compartilhe antes de checar a veracidade dos fatos nunca, nem para se indignar.

7. Informações vagas são mau sinal – Muitos dos boatos divulgados em redes sociais ou aplicativos de mensagens são vagos ou sejam trazem informações que não identificam os personagens envolvidos, não dão nome a quem interagiu. As notícias de verdade no geral deixam nítido quem falou, quando falou e onde falou e mostram detalhes sobre um determinado fato. Se o post não identifica de onde saíram as informações, fique alerta. Pode ser mentira.


8. Confira os vídeos, imagens e áudios – Ao encontrar um áudio, vídeo ou imagens com informações muito extraordinárias, sempre vale a pena verificar se a informação foi repercutida em outros veículos. Áudios, vídeos e fotos podem ser facilmente editados e tirados de contexto. É importante buscar mais informações sobre a gravação original e pesquisar as circunstâncias em que ela foi feita.

9.Como checar as fotos – No caso das imagens estáticas (como fotografias), é até mais fácil. Se a foto publicada na internet parecer estranha, dê um clique com o botão direito do mouse sobre ela e escolha a opção “procurar imagens”. Esse recurso pode mostrar onde e quando tal a imagem já foi reproduzida na internet anteriormente e apontar se a imagem antiga está sendo usada para montar um conteúdo enganoso.

10. Consulte as fontes citadas – Sempre que alguém for citado em um conteúdo, é importante verificar se tais declarações estão nos canais oficiais da pessoa ou instituição mencionada. Também é importante fazer uma busca online pelo nome da pessoa que é responsável pela informação. Assim, é possível comprovar se tal fonte existe, se trabalha na instituição mencionada e se de fato falou o que foi mencionado no conteúdo para as redes sociais.


11. Veja se a informação foi publicada em outros lugares – Notícias importantes, independentemente do teor político, dificilmente são publicadas por apenas um veículo de imprensa. Desconfie e pesquise em seu buscador se ela foi publicada também em outros veículos confiáveis.

12. Seja um Agente da Verdade – Só espalhe a VERDADE. Você é responsável pelo que compartilha, por isso. Verifique se a informações que foram compartilhadas contigo foram verificadas por Agências de Checagem, que apontam o que é falso e o que não é.

13. Utilize o Verdade na Rede – O Verdade na Rede é seu canal para buscar as vacinas contra as notícias falsas e nos ajudar a denunciar os disseminadores de mentiras. Por lá você também pode se cadastrar nos nossos grupos de WhatsApp, receber informações e interagir com a equipe do site. Sempre que encontrar um boato por aí, não esqueça, siga as recomendações:
– Viu uma fake news ? Não divulgue nem para os amigos;
– Para cada mentira, responda com uma verdade;
– Busque a vacina para a mentira em lula.com.br/verdadenarede/;
– Quer denunciar uma notícia falsa? Acesse lula.com.br/verdadenarede/;
– Entre nos grupos anti-fake news do Verdade na Rede no Whatsapp;
– Inunde a rede com verdades.