29 de março de 2022

Está circulando nas redes sociais um vídeo falso com supostas vaias ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante jogo entre Brasil e Chile, no estádio do Maracanã, em 24 de março. O arquivo é uma montagem feita com fins político-eleitorais. Fabricar fake news faz parte da estratégia bolsonarista para encobrir os desastres da atual gestão e atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera todas as pesquisas de intenção de voto. Bolsonaro se aproxima do fim de seu mandato com escândalos repetidos e deixa um país mergulhado no desemprego, com milhões de pessoas passando fome e inflação recorde, com impactos devastadores nos preços dos alimentos, gás de cozinha, energia elétrica e combustível.

O cenário é bem diferente daquele deixado por Lula quando terminou o seu governo, em 2010, com 87% da aprovação da população brasileira, segundo a CNT/Sensus. Até mesmo quem não votou no ex-presidente lembra bem a coleção de indicadores econômicos positivos que a Era Lula deixou no Brasil, dentre eles o nível de desemprego que caiu 45% em seus oito anos de governo, além de um crescimento de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

De acordo com as agências de checagem Lupa e Boatos.org, o áudio que aparece no vídeo é de 2018, em Curitiba, e foi sobreposto às imagens do jogo em que a seleção brasileira goleou o Chile por 4 a 0. Na gravação original, é possível ver as mesmas imagens de torcedores no Maracanã cantando músicas de apoio ao Flamengo e também dá para ouvir, em alguns momentos, a torcida vaiando torcedores de times rivais, conforme noticiaram sites esportivos como Lance!, Mundo Rubro Negro e Portal R7.

Esta não é a primeira vez que bolsonaristas inventam vaias contra Lula. Em janeiro, redes ligadas a Jair Bolsonaro divulgaram um vídeo falso sugerindo que o ex-presidente teria sido hostilizado e expulso do Shopping Iguatemi, em São Paulo. Porém, o arquivo original foi gravado em 2018, em um shopping em Salvador, e mostra um conflito entre manifestantes pró e contra a prisão do ex-presidente.

Em agosto do ano passado, a mesma farsa também foi aplicada durante viagem de Lula ao Nordeste. Na ocasião, as redes sociais foram inundadas pela notícia falsa de que ele teria sido vaiado em um restaurante, em Recife, quando na verdade as imagens eram de Natal, de apoiadores e opositores de João Doria, que estava na cidade para receber o título de cidadão natalense.

Ao contrário do que os propagadores de fake news tentam parece, foi Bolsonaro que teve que assistir, no último final de semana, ao público do festival de música Lollapaloza, em São Paulo, se manifestar contra o seu desgoverno e pedir por mudanças no país.