17 de maio de 2022

Mesmo com declaração da Meta (empresa responsável pelo Whatsapp, Facebook e Instagram) de que irá monitorar conteúdo sobre eleições, usuários seguem recebendo conteúdo irregular via whatsapp. O disparo de mensagens em massa via Whatsapp está proibido pela Justiça Eleitoral desde 2019. Mesmo assim, na última sexta-feira (13), paranaenses receberam mensagens de remetentes desconhecidos sobre a campanha para o governo do estado, todas iguais e com foco na pré-candidatura de Cesar Silvestri Filho, do PSDB. A informação é do colunista Lauro Jardim, de O Globo.

“Os envios foram feitos por dois números do Rio de Janeiro e de São Paulo que estão cadastrados na ferramenta WhatsApp Business, voltada para empresas e estabelecimentos comerciais. As contas utilizam a bandeira paranaense como imagem de exibição e entram em ação em pelo menos três momentos da tarde de sexta (às 17h, 17h16m e 17h17m), mesmo dia em que partidos passaram a veicular propagandas institucionais na TV e no rádio”, diz o texto.

As mensagens afirmam que as campanhas ainda não começaram antes de trazerem uma peça publicitária de ataque a opositores ao pré-candidato, que nega envolvimento com a ação. Não só toda e qualquer campanha é proibida até o dia 16 de agosto, como o TSE reforçou o veto no ano passado.

+ Pedido de voto, outdoor e até meme: Propaganda antecipada é proibida! Veja como denunciar

Os envios causam alarme porque repetem a estratégia bolsonarista de manter as pessoas presas às mentiras e ao ódio que venceram em 2018 e nos afogar em mentiras. Sempre que se vê acuado, Bolsonaro cria cortinas de fumaça a cada notícia negativa veiculada sobre o seu governo (e são muitas). Essa estratégia não é nova, mas é extremamente eficaz. Com suas declarações absurdas, o presidente pauta a mídia e as redes sociais dia após dia, deixando as más notícias sobre sua administração em segundo plano.

Também porque as mentiras não são criadas apenas como informações falsas: elas miram especialmente gerar sentimentos negativos em quem as recebe. E quando alguém, bem ou mal intencionado, divide um desses conteúdos, está criado o campo para uma disseminação quase incontrolável.

O WhatsApp informou que baniu as duas contas, assim como outras reportadas por usuários devido a comportamento similar. A empresa também declarou que lançará em conjunto com o TSE uma plataforma para que se possa reportar especificamente os disparos em massa em período eleitoral.

+ Como denunciar mentiras e fake news do bolsonarismo

Existe, de fato, um acordo entre o TSE e as plataformas de redes sociais para combater a desinformação nas eleições deste ano. Porém, em geral, os termos acertados por aqui foram mais brandos se comparados às ações realizadas nos Estados Unidos, onde a disseminação de fake news também causou um mal imenso nas eleições presidenciais que toraram Donald Trump presidente.

Um estudo que analisou os chamados memorandos de entendimento com a Corte Eleitoral aponta que as plataformas tomaram medidas insuficientes no campo de contenção de desinformação e nenhuma dela apresentou avanços no campo da transparênciaComo já mostramos, a mentira virou um negócio lucrativo para alguns, por isso é ainda mais difícil combate-la.

Diante desse cenário, seguimos atentos a todas as denúncias e investigações a fim de garantir que em outubro tenhamos, sim, eleições limpas, candidatos preparados e uma escolha efetiva e verdadeira sobre o que desejamos e sonhamos para o Brasil. Para cada mentira, vamos compartilhar uma verdade. 

Não temos tempo a perder odiando quem quer que seja. Não faremos jamais como o nosso adversário, que tenta mascarar a sua incompetência brigando o tempo todo com todo mundo, e mentindo sete vezes por dia. A verdade liberta, e o Brasil precisa de paz para progredir.

Lula, no lançamento do Movimento Vamos Junt❤️s pelo Brasil

Ao longo dos últimos dois meses, a campanha de vacinação anti-fake news do Verdade na Rede atingiu milhares de pessoas. Agora, é hora de continuar a lutar em defesa da democracia: vamos junt❤️s pela verdade, combatendo fake news nas redes e nas ruas. Foram mais de 2.200 denúncias, 373 checagens de fatos cadastradas, 128 conteúdos próprios produzidos e 63 grupos de Whatsapp de Agentes da Verdade.

Ao longo desses dois meses desde o lançamento do Verdade na Rede, foram cadastradas 373 matérias com checagens de fatos realizadas por agências de fact checking. Além disso, foram produzidos 128 conteúdos próprios, entre vídeos, cards e textos didáticos sobre como reconhecer e o que fazer diante de fake news; materiais desconstruindo fake news específicas e conteúdo expondo os mecanismos pelos quais agem as milícias digitais e o gabinete do ódio.

+ Entre em um de nossos grupos de Whatsapp e torne-se um Agente da Verdade!

Já são 63 grupos de Whatsapp de Agentes da Verdade, com mais de 12 mil participantes, para divulgar os principais conteúdos em defesa da verdade e contra fake news. Todos estão em pleno m funcionamento e são criados e operados de maneira orgânica, já que a adesão é feita de forma voluntária. Assim, é possível organizar ações, distribuir materiais para combater mentiras e se mobilizar por um debate público menos contaminado pelas distorções de informações da milícia digital. Além das vacinas, no nosso site você também encontra pacotes de figurinhas exclusivos para aderir a esse movimento contra as mentiras de Bolsonaro.

Não compartilhe e siga denunciando!

Verdade na Rede concentra as checagens de fatos já produzidas contra as fake news veiculadas pelas milícias digitais, além de outros conteúdos e notícias sobre o tema. Busque por tema imunize seus familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, de igreja e quem vier espalhar mais uma lorota das milícias digitais.

O caminho para a verdade é simples e conta com o apoio da nossa equipe. Os passos são os seguintes:

1 – Viu uma mentira?

Não a divulgue, nem para seus amigos mais próximos. Bolsonaro quer nos afogar nas suas falsidades. Saia dessa. Respire fundo, entre em https://lula.com.br/verdadenarede/ e busque uma vacina para as fake news que não param de pingar nos seus grupos de zap.

É só ir no campo de busca e digitar uma palavra marcante da notícia falsa.

Responda a mentira com uma verdade. O nosso site reúne o material das agências de checagem e conteúdo próprio. É preciso desmontar os argumentos falsos e as narrativas fantasiosas do bolsonarismo. Ao responder à mentira, encaminhe uma das vacinas, aproveite e já envie algumas das realizações dos governos do PT para gerar um debate produtivo e sem briga.

2 – Não encontrou uma vacina?

Denuncie a fake news com a qual você se deparou. Você pode fazer isso em nosso site, clicando no botão vermelho DENUNCIE AQUI. Produziremos novas vacinas a partir das novas cepas do bolsovírus. Além disso, nosso time jurídico irá avaliar a sua denúncia e, se for necessário entraremos em contato para maiores informações.

3 – Como seguir informado?

É só se cadastrar em um dos nossos grupos de WhatsApp. Eles estão na página inicial do Verdade na Rede. Estaremos sempre de olho. Procurando as mentiras que circulam nas redes e em grupos de WhatsApp e Telegram e trazendo a verdade.

Além disso, os grupos também serão espaço para trocar informações e técnicas para eliminar as fake news. Seja um agente da verdade!

Vamos neutralizar o Bolsovírus e respirar os ares da democracia e da verdade. Vacine-se contra as fake news. Embarque no nosso mutirão!