30 de novembro de 2021
Foto: Ricardo Stuckert

Defensor do papel do Estado como indutor do desenvolvimento, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou o impacto positivo dos investimentos feitos pelo governo federal no Rio Grande do Sul durante as gestões do PT. Em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta terça-feira (30), Lula enumerou investimentos feitos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e lembrou da ampliação das instituições federais de ensino no estado.

“Nós fizemos aquilo que nunca tinha sido feito pelo Rio Grande do Sul”, afirmou Lula, após registrar que o PAC 1 (2007 a 2010) fez investimentos de R$ 46,8 bilhões no estado, e o PAC 2 (2011 a 2015), outros R$ 70 bilhões. “Eu até convido vocês a fazer uma pesquisa pra saber se, na história republicana desse país, teve um partido e um governo que colocou mais dinheiro no Rio Grande do que nós, em estrada, educação, ciência e tecnologia, água, transporte.”

O ex-presidente citou, especificamente, a transformação da região sul do Estado, “depois da duplicação da BR até Rio Grande e a indústria naval em Rio Grande”. Durante a entrevista, Lula lamentou que a Operação Lava Jato tenha paralisado os investimentos no Estaleiro de Rio Grande, ao minar a capacidade de investimento da Petrobras.

Mais Alimentos e educação

Questionado sobre a inflação no preço dos alimentos, Lula citou políticas de seu governo federal que foram capazes de intervir positivamente tanto no controle dos preços, como no desenvolvimento da zona rural. “Nós criamos uma política chamada Mais Alimentos, as empresas agrícolas do Rio Grande do Sul lembram”, comentou o ex-presidente. 

O Mais Alimentos foi uma linha especial do Pronaf, voltada para a melhoria de infraestrutura de propriedades rurais dedicadas à produção de carnes, laticínios, frutas, verduras e outros gêneros alimentícios. O financiamento, ao mesmo tempo que garantia a produção de alimentos para consumo interno, aumentava a renda dos agricultores e movimentava a indústria de maquinário agrícola. “Nós vendemos, naquele ano, 80 mil tratores de 80 cavalos para salvar a indústria e ter uma política de melhoria da produção da agricultura familiar”, contabilizou Lula.

Falando sobre o futuro do Brasil, Lula também usou o legado do seu governo no Rio Grande do Sul como um exemplo. “Nós seremos capazes de restabelecer a dignidade nesse país, o emprego nesse país, as universidades. Vocês sabem o que eu fiz no Rio Grande de universidade, vocês sabem quantas universidades, quantas escolas técnicas, quantos institutos de tecnologia”.

Durante as gestões de Lula e Dilma, foi criada a Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Além disso, a antiga Faculdade Federal de Medicina foi transformada em Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA, e três campi da Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS) foram colocados em funcionamento em Erechim, Cerro Largo e Passo Fundo. Ainda foram inaugurados três Institutos Federais de Educação (de Farroupilha, do Rio Grande do Sul, e Sul-riograndense), com unidades em dezenas de municípios.

“É isso que eu quero fazer. Eu quero provar que é possível cuidar do povo”, concluiu Lula.

VEJA TAMBÉM: