20 de abril de 2022

Nesta semana, o Verdade na Rede recebeu dezenas de denúncias a respeito de um vídeo que tem circulado em aplicativos como o WhatsApp, além de redes sociais, de um suposto advogado do PT falando sobre as pesquisas eleitorais. Antes de tudo, vale repetir: o conteúdo é falso! E mais, segue ao pé da letra a cartilha dos criadores de fake news da milícia digital que sustenta Bolsonaro no poder. A seguir, desmontamos sua estratégia que se disfarça no humor para difundir mentiras da extrema-direita.

Humor bandido: advogado fake inventa mentiras sobre campanha de Lula

Primeiro de tudo, Avacalho Ellhys não é e nunca foi advogado do Partido dos Trabalhadores ou de Lula. O nome do personagem é, na verdade, um jogo de palavras. Basta ler o nome em voz alta e você perceberá que ele, na verdade, forma uma frase, o trocadilho bem pouco elaborado “avacalho eles [sic]”. Ao que tudo indica, o autor da criação é Warley Clauhs, que se define no YouTube como ator, poeta, professor, pós-grudado em Artes e técnico em Artes Cênicas.

Para dar a entender que não sabe o que está sendo filmado, ele coloca o celular ao seu lado, num banco, e cria a cena de quem estaria tomando um inocente cafezinho. Desde o posicionamento da câmera, o vídeo segue o mesmo padrão da maioria das fake news que circulam hoje na internet. O enquadramento parece amador, o conteúdo é vago, o tom é alarmista, há incontáveis erros de português e não é citada qualquer prova ou fonte confiável sobre o assunto.

+ Como denunciar mentiras e fake news do bolsonarismo

Daí, o suposto humorista mergulha no assunto favorito de 10 entre 10 membros da milícia digital bolsonarista: a inverídica fraude eleitoral. Primeiro, ele diz que teria dado a orientação para que o foco fossem as redes sociais, justamente o terreno da milícia digital mantida pela extrema direita. Depois, coloca em xeque a veracidade das pesquisas eleitorais. Esse assunto está especialmente em voga nos últimos dias, e se tornou alvo preferencial das fake news da semana. Bolsonaristas também têm usado imagens como a da motociata de Jair na Sexta Feira da Paixão para fabricar uma narrativa de que ele tem apoio popular. É assim a vida de um presidente que precisa mentir que tem o povo ao seu lado.

O jogo sujo, agora, é para tirar credibilidade das pesquisas que visam retratar como o eleitorado se posiciona em relação às eleições com possíveis candidatos listados pelos institutos que as realizam. Mas lembre-se: todas, obrigatoriamente, precisam estar registradas no Tribunal Superior Eleitoral.

No site do TSE, é possível consultar informações como número de registro, período em que foi realizado o estudo, margem de erro; nível de confiança, quantidade de entrevistas, nome da entidade que fez o levantamento e, se for o caso, de quem a contratou. Todos os veículos sérios de informação divulgam o número de registro das pesquisas que noticiam conforme elas são publicadas. De posse dele, você mesmo pode fazer a checagem dos dados. E fique atento: se o número não for divulgado, provavelmente você está diante de uma mentira.

+ Entre em um de nossos grupos de Whatsapp e torne-se um Agente da Verdade!

Em seu vídeo, o aspirante a “comediante” fala ainda sobre uma suposta organização de fraudes às urnas eletrônicas, outro tema querido pelo presidente desde 2018. Nem o presidente nem ninguém tem provas ou indícios, como o próprio governo federal já assumiu, que tenha havido qualquer tipo de irregularidade nos pleitos brasileiros. A verdade é que nunca houve fraude comprovada nas eleições brasileiras desde a adoção das urnas eletrônicas. Mesmo assim, a milícia digital segue criando montagens grosseiras e mentiras sobre o assunto, e, como vemos, pautando as “piadas” de humoristas ligados à extrema-direita.

A semelhança entre os discursos do advogado fake e o que sai do Palácio do Planalto é tamanha que ele mesmo fala, em tom de deboche: “Estou parecendo o Bolsonaro. Taolkei?” Em seus vídeos, o suposto Avacalho Ellhys ainda repete outra mentira, também querida aos que estão do poder, e tenta de forma criminosa associar ao PT, à exemplo do que aconteceu em 2018, o ataque sofrido por Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Essa farsa, já amplamente desmentida, é um dos assuntos favoritos da base do governo no Congresso Nacional.

Ou seja, o dr. Avacalho Ellhys não é e nunca foi advogado de Lula e do PT. Não passa de um “humorista” de intenções duvidosas que tenta se valer do antipetismo para surfar a onda da milícia digital e tentar ganhar alguns seguidores. Em seu canal, ele se dedica a imitações grosseiras, não raro machistas e transfóbicas, além de mentir também sobre a ex-presidenta Dilma Rousseff, e distorcer a verdade. Trabalha, voluntariamente ou não, para fortalecer a rede de mentiras e difamação que é a arma do bolsonarismo para se manter no poder.

Não compartilhe e siga denunciando!

Com cerca de 400 inscritos, o canal no YouTube onde o vídeo foi publicado é recheado de vídeos que não costumam nem sequer chegar às 200 visualizações. Mas este, especificamente, já foi exibido 17 mil vezes, apenas no youtube, até a publicação desta vacina. É por isso que reforçamos: não compartilhe conteúdos visivelmente falsos. Qualquer publicação, mesmo que em tom de denúncia ou indignação, ajuda a aumentar a propagação desse tipo de conteúdo, que visa confundir o debate sério e mudar o foco para a discussão que realmente importa. Ou seja, a sua denúncia acaba virando divulgação daquele conteúdo com que você não concorda.

Por isso, reforçamos: ao notar um conteúdo falso, não compartilhe nem com seus amigos. Respire fundo, e lembre-se de que é essa justamente a estratégia do bolsonarismo. Então, responda à mentira com uma verdade. Basta buscar uma vacina em https://lula.com.br/verdadenarede para desmontar os argumentos falsos e as narrativas fantasiosas dos apoiadores do genocida.

Se não encontrar uma resposta para o caso em específico, clique no botão vermelho DENUNCIE AQUI. Produziremos novas vacinas, assim como este texto, a partir das novas cepas do bolsovírus. Além disso, nosso time jurídico irá avaliar a sua denúncia e, se for necessário entraremos em contato para maiores informações. E, para se manter informado, cadastre-se em um dos nossos grupos de WhatsApp. Estaremos sempre de olho. Procurando as mentiras que circulam nas redes e em grupos de WhatsApp e Telegram e trazendo a verdade.