09 de fevereiro de 2022

A máquina de fake news bolsonarista segue funcionando a todo vapor em 2022. Em apenas quarenta dias, já foram inventadas e requentadas diversas mentiras sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que incluem desde passeios mentirosos em lanchas milionárias inexistentes até vídeos fakes simulando “pacto com o demônio”. As fake news religiosas, aliás, estão em alta nesse ano: começou a circular tuíte falso afirmando que Lula supostamente atacaria igrejas e diria que quer cortar benefícios religiosos.

A falsificação parece fazer parte de uma ação coordenada do Gabinete do Ódio, Ao mesmo tempo em que as redes bolsonaristas criam notícias falsas absurdas sobre algo que nunca foi mencionado pelo presidente Lula, assessor de Bolsonaro, com conta verificada no Twitter, descontextualiza e deturpa tuíte antigo para enganar o povo.

Apesar de ostentar o pomposo cargo de chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, aquele que no ano passado foi acusado de fazer gestos racistas em evento no Senado.Federal não parece ser muito chegado ao trabalho. O assessor de Bolsonaro espalha desinformação sobre Lula do alto de sua conta verificada no twitter e de seu salário de mais de R$ 16 mil, pago pelo contribuinte brasileiro. 

Em um post de 7 de fevereiro, ele deturpa um tuíte antigo de Lula, de 23 de julho de 2021, e dá a entender que o ex-presidente apoia invasões e perseguições religiosas.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nunca afirmou que vai cortar benefícios de templos religiosos e obrigá-los a casar gays, se eleito. É uma mentira.

Lula, como se sabe, é um homem de fé, católico, defensor da tolerância e do diálogo. E tem argumentado que só se recupera o país do desastre Bolsonaro ouvindo todos os setores da sociedade.

Desesperados com os resultados das pesquisas, o gabinete do ódio partiu para cima de Lula. Não há um dia que não divulguem uma mentira, sobretudo envolvendo religiosidade.

A infestação de fake news escancara como Jair Bolsonaro (PL) usa a máquina do ódio para mentir sobre o presidente Lula. E por que o tema da religião? Segundo Luis Sabanay, reverendo presbiteriano na coordenação nacional do Núcleo Evangélico do PT, em entrevista à Folha de S. Paulo: “As pesquisas mostram que Lula e Bolsonaro praticamente empatam no público evangélico. A estratégia da mentira deve se intensificar por causa disso”, afirma.