02 de outubro de 2018

Um dos principais polos de turismo do país, o Parque Nacional do Iguaçu, encontra-se no estado do Paraná. Trata-se do parque não urbano que mais recebe turistas no Brasil: quase 1,8 milhão só no ano passado.

O Parque do Iguaçu é exemplo do potencial turístico do nosso país e de como esse setor precisa ser mais e melhor explorado, uma vez que o turismo é um importante transformador de economias e sociedades, promove inclusão social e gera oportunidades de emprego e renda.

Um em cada dez empregos no mundo vem da atividade turística. Além de gerar renda e atrair investimentos, a indústria de viagens e turismo valoriza a cultura e o patrimônio histórico do Brasil.

A educação também é desenvolvida por meio de cursos específicos para a área. Aliás, durante os governos do PT, os cursos técnicos e superiores de turismo foram expandidos em regiões com grande potencial para esse campo.

Plano de governo incentiva o setor
O plano de governo do candidato Fernando Haddad trabalha sobre o eixo turismo e desenvolvimento e define que esse ramo da economia precisa voltar a ser prioridade, como aconteceu durante o governo Lula. O turismo se trata de uma atividade intensiva em geração de empregos, baseada em pequenas empresas e com grande poder de inserção, porque não abrange somente os grandes centros, mas todo o seu entorno, inclusive nos setores associados, como o artesanato, a produção de alimentos na agricultura familiar e o entretenimento, entre outros.

O turismo desenvolvido de forma sustentável é uma das propostas de Haddad, utilizando-se de tecnologias avançadas e de gestão compartilhada.

Incentivo ao turismo interno
Somos 207 milhões de brasileiros, mas hoje somente 60 milhões viajam pelo Brasil. O potencial do mercado interno é enorme e pode multiplicar os 6,5 milhões de empregos desse segmento.

Assim como foi realizado nos governos do PT através do PAC, que melhorou a infraestrutura de estradas, aeroportos e portos, Haddad quer dar continuidade a esse planejamento.

Para o candidato de Lula, a qualificação dos trabalhadores nesse segmento é essencial, ao lado da formulação de políticas públicas, do monitoramento para sustentar a tomada de decisão e da busca de parcerias, inclusive para obter financiamentos externos para o segmento.

Turismo internacional
Com relação à atração de turistas estrangeiros, a proposta de Haddad é aumentar os recursos para a promoção do Brasil no exterior, recuperando a capacidade do Estado como indutor do turismo no país.

“É preciso recuperar a imagem do país, combater o turismo sexual, oferecer segurança e demonstrar toda a nossa diversidade. Temos turismo de sol e praia, de eventos culturais, religiosos, de negócios, de aventura, rural, ecoturismo e LGBTI+. Somos o primeiro lugar em recursos naturais no Ranking Mundial de Competitividade no Turismo, mas não basta; precisamos de produtos turísticos para atender ao novo perfil do viajante 100% conectado”, relata o plano de governo.