10 de fevereiro de 2022

Comida na mesa, emprego, valorização dos salários, distribuição de renda, crescimento econômico e inclusão educacional são apenas algumas das lembranças que o povo tem dos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT. Uma das principais buscas no google relacionadas ao nome de Lula é : “por que Lula foi o melhor presidente do Brasil”? As razões são muitas, e abaixo elencamos 13 motivos pelos quais Lula merece o título de melhor governante da história do Brasil.

1. Lula foi o presidente que mais promoveu inclusão social na história

Por meio de políticas de distribuição de renda, do estímulo ao crédito, do aumento real do salário mínimo, da criação de empregos e também da ampliação do acesso à educação, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva promoveu algo inédito na história do Brasil: crescimento econômico com inclusão social. A disparidade na distribuição de renda no país caiu de forma ininterrupta entre 2002 e 2015, voltando a crescer a partir de 2016 (não por coincidência, ano do golpe contra Dilma Rousseff). O índice de Gini, que mede o nível de desigualdade social, recuou de 0,583 para 0,547 no Brasil entre 2002 e 2017. Quanto mais perto de 1, mais desigual é um país.

Um dos principais responsáveis pela diminuição da miséria do país foi o Bolsa Família, maior programa de transferência de renda do mundo, utilizado como modelo para programas em mais de 15 países. Para cada R$1 investido no programa, R$ 1,78 voltava à economia mundial. Infelizmente, o programa foi extinto por Jair Bolsonaro.

2. A era Lula foi o período de maior crescimento econômico na história recente do país

Quando Lula assumiu, éramos a 13ª economia do mundo, Lula não só alçou o Brasil ao sétimo lugar no ranking como pagou a dívida contraída por FHC com o Fundo Monetário Internacional livrando o país das exigências do FMI. Em 2009, pela primeira vez na história, o Brasil emprestou dinheiro ao Fundo: US$ 10 bilhões para ajudar países emergentes em meio à crise internacional. Em 2012, novo empréstimo de US$ 10 bilhões, agora para a zona do euro – com uma exigência: participação mais efetiva dos países em desenvolvimento nas decisões do Fundo.

Lula conseguiu conduzir o Brasil pela crise econômica global de 2008, lançando mão de políticas econômicas anticíclicas para manter a economia aquecida, colocando o pobre no centro do orçamento, com fortalecimento dos bancos públicos para expansão do crédito, ampliação do financiamento ao setor exportador e estímulo ao mercado interno.

Em 2010, Lula promoveu a maior capitalização de toda a história mundial: a capitalização da Petrobras promoveu uma injeção de R$ 120 bilhões de reais levantados com a emissão de mais de 4 bilhões de ações, buscando no mercado parte do recurso necessário para a exploração do Pré-Sal, maio reserva de petróleo em águas profundas descoberta no século.

No mesmo ano, Em 2010, Lula terminou seu segundo mandato em um Brasil com crescimento econômico recorde de 7,5%.

3. Possibilitou a ascensão de milhões de pessoas à Classe C

Entre 2003 e 2010, 32 milhões de brasileiros saíram da pobreza e entraram na classe média. No ano de 2008, pela primeira vez, a maior parte da população pertencia à classe C, graças à diminuição das classes D e E.

Em 2002, 44% da população pertencia à classe C — composta por pessoas com renda familiar mensal de 2,5 a 11 salários mínimos. Oito anos depois, ela correspondia a 52% dos brasileiros, enquanto a classe E encolhia de 30,5% para 18,5%. No topo da pirâmide, as classes A e B passaram de 13% para 15,5%.

4. Criou 15 milhões de empregos formais

Esse foi um dos maiores legados deixados pelo ex-presidente, que trouxe o conceito de dignidade à realidade das pessoas. De 2003 a 2010, foram criados 14.725.039 empregos, mais do que a soma dos governos Sarney, Collor e Itamar juntos. Nos 15 anos anteriores, essa soma é de apenas 10,4 milhões. Quando deixou a presidência, em 2010, a taxa de desemprego no Brasil era de 6,7%, a menor em 8 anos.

Entre 2003 e 2015, foram criados 22 milhões de empregos formais, com carteira assinada e direitos trabalhistas. Lula também foi responsável pela política de valorização do salário mínimo. Lula foi o presidente que concedeu maior aumento de salário mínimo na história do Brasil, desde sua criação , em 1 de maio de 1940. O ganho real, acima da inflação, do salário mínimo, entre 2003 e 2010, foi de 53,6%. Entre 2002 e 2015, o aumento real foi de 76,54%. A política de valorização do salário mínimo, um dos pilares da inclusão social do período (que se tornaria modelo para o mundo), foi uma das principais responsáveis por manter a economia aquecida durante a crise econômica internacional de 2008.

Sem as políticas implementadas por Lula, o salário mínimo atual seria de apenas R$ 694.

5. Sem diploma, foi o presidente que mais investiu em educação

Programas como o Prouni, o Reuni e a reformulação do Fies permitiram que o número de estudantes universitários mais do que dobrasse, aumentando 4,5 milhões de vagas e chegando a mais de 8 milhões de universitários em 2015. Sob os governos do PT, o número de matrículas universitárias aumentou 130%. Em 2002, eram 3,4 milhões de vagas, enquanto em 2015 o Brasil contava com 8,02 milhões de universitários. Os governos do PT foram responsáveis pela criação de 18 novas universidades federais e 184 novos campi universitários federais ao redor do Brasil, levando educação de qualidade para o interior do País.

Em relação ao ensino técnico, os governos de Lula e Dilma foram capazes de fazer em 13 anos o que os governos anteriores não fizeram em um século: entre 1909 e 2002, foram construídas 140 escolas técnicas. Entre 2003 e 2016, foram entregues à população 500 escolas técnicas federais.

6. Investiu em agricultura familiar

Lula investiu naqueles que fornecem mais de 70% dos nossos alimentos. O PAA foi criado em 2003, no âmbito do Fome Zero, com a finalidade de promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. O PNAE foi criado em 1997, mas somente em 2009 foi definido que 30% da merenda escolar deveria vir da agricultura familiar. Chegou a ser a maior política de alimentação gratuita do país. Consolidado durante o governo Lula, o Pronaf oferece financiamento a juros baixos para pequenos agricultores familiares que queiram investir na produção. Outros programas dos governos petistas também melhoraram a vida das pessoas do campo, como o Luz para Todos, o Bolsa Família, o Água para Todos e o Um Milhão de Cisternas.

7. Governou com destaque para o Meio Ambiente e combate ao desmatamento

Em 2010, o desmatamento na Amazônia atingiu a menor taxa desde 1977, com redução de 80%. Em 2004, o governo Lula implantou o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAm).

Em 2008, Lula criou o Fundo Amazônia, uma iniciativa pioneira para arrecadar recursos financeiros, junto aos países desenvolvidos, que seriam destinados a manter de pé a maior floreste tropical do mundo, ajudando assim a combater as mudanças climáticas. Até 2019, o fundo já havia recebido cerca de R$ 3,4 bilhões da Noruega, Alemanha e da Petrobras. O programa se tornou o principal instrumento nacional para custeio de ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, além de promover a conservação e o uso sustentável do bioma amazônico

Em 2009, o Brasil apresentou a proposta mais ousada entre os países na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 15): reduzir de 26,1% a 38,98% a emissão de gases do efeito estufa (principalmente advindos do desmatamento da Amazônia) até 2020. Reafirmando sua liderança na questão climática, o Brasil visava induzir os países desenvolvidos não-signatários do protocolo de Kyoto a assumir a meta de 40% de redução da emissão de gás carbônico.

8. Criou políticas sociais como Cisternas, Luz Para Todos, Brasil Sorridente, além de políticas para a promoção de igualdade racial

As políticas sociais de Lula tornaram-se exemplo para muitos países do mundo. O Bolsa Família é um sucesso estrondoso, que tirou 36 milhões de pessoas da pobreza em 10 anos e reduziu em 25% a taxa de extrema pobreza no Brasil. Mas para além do BF, existem outras políticas de Lula que fizeram toda a diferença na vida dos brasileiros, como o programa de cisternas, que levou água de beber a 1,5 milhão de casas e escolas de 2003 a 2015; o Luz Para Todos, que levou energia elétrica pela primeira vez, a 3,3 milhões de famílias e o Brasil Sorridente, que beneficiou 83 milhões de pessoas com tratamento dentário, de 2004 a 2015.

Logo no início de seu governo, Lula criou a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), com status de ministério. Em 2010, o ex-presidente sancionou o Estatuto da Igualdade racial, para incentivar políticas de inclusão da população negra no mercado de trabalho, ensino e ocupação, a obrigatoriedade do ensino de história africana o currículo escolar e a manutenção do direito de propriedade da terra aos remanescentes quilombolas. Dados do IBGE mostram que as políticas públicas de acesso ao ensino superior com FIES e PROUNI e a expansão de vagas nas universidades públicas permitiram que mais pessoas negras ingressassem na universidade. O Governo Lula criou a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), com campus em Redenção (Ceará)  e São Francisco do Conde (Bahia) que reúne estudantes do Brasil com professores e alunos da África de língua portuguesa. O objetivo da faculdade é promover a aproximação e troca de conhecimento entre o Brasil e a África.

Com o Minha Casa Minha Vida, milhões de famílias de baixa renda realizaram o sonho da casa própria. Entre 2009 e 2014, foram 6,8 milhões de beneficiários; 1,7 milhões de moradias entregues em 5.288 municípios. O investimento no programa nesse período foi de R$217 bilhões e mais de 1 milhão de empregos foram gerados.

9. Possibilitou a descoberta do pré-sal


Maior jazida de petróleo do mundo encontrada no século XXI, no ano de 2006, que nos tornou autossuficientes em petróleo, e só foi possível graças a uma decisão política do governo Lula, que permitiu que a Petrobras investisse em tecnologia e expertise para exploração do pré-sal, área que gerava receio em outras empresas petroleiras por sua complexidade.  A produção diária de petróleo no pré-sal chegou a 1 milhão de barris por dia em 2016.

Nas palavras de Lula: “A Petrobras investia 40 bilhões de reais por ano. Nós não descobrimos o pré-sal para exportar petróleo cru, foi para exportar derivados e ter uma indústria petroquímica poderosa no Brasil. É por isso que usamos a frase ‘o Pré-sal é o passaporte do futuro’, por isso que colocamos 50% dos royalties do petróleo na educação e também pensamos em criar um fundo do povo brasileiro”, relembrou. “Tudo isso está sendo destruído, venderam”, lamentou o ex-presidente.

10. Criou o maior programa habitacional da história, o Minha Casa, Minha Vida

Os objetivos do Minha Casa, Minha Vida, lançado em 2009, eram ao mesmo tempo diminuir o déficit habitacional da população mais pobre e gerar empregos, aquecendo a economia por meio da construção civil. De 2009 até maio de 2016 (mês do golpe), foram contratadas 4,2 milhões de moradias, das quais 2,7 milhões foram entregues, beneficiando cerca de 10 milhões de pessoas em 96% dos municípios brasileiros.

Metade das casas foram financiadas para famílias com renda de até R$ 1.800. Alavancou-se um investimento recorde em habitação, de cerca de R$ 300 bilhões. Foram gerados 1,7 milhão de empregos – 1,2 milhões de empregos diretos e 500 mil indiretos.

11. Ajudou a tirar o Brasil do Mapa da Fome


Quando se tornou presidente da República, em 2003, Lula assumiu o compromisso de garantir que todos os brasileiros e brasileiras fizessem ao menos 3 refeições diárias. A consequência disso foi que o Brasil saiu do Mapa da Fome da ONU pela primeira vez em 2014 graças a um conjunto de ações e políticas afirmativas e de distribuição de renda, como o Bolsa Família, que permitiram que os brasileiros pudessem se alimentar e viver com dignidade.

12. Brasil se tornou liderança mundial, com papel de destaque na política externa


Lula elevou o Brasil a um protagonismo internacional inédito. Seu governo fortaleceu o Mercosul, criou a Unasul, o Conselho de Defesa da América do Sul e, em seguida, da Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe, além de aumentar os postos de representações diplomáticas em pontos importantes, inclusive no Oriente Médio. O governo Lula estabeleceu o IBAS com Índia e África do Sul e os BRICS, incluindo Rússia e China, além de fortalecer as relações com a União Europeia e conquistar posição de respeito em decisões importantes na ONU e no G20.

13. Teve a melhor aprovação de um presidente ao final de um mandato

Quando Lula deixou o governo, ao término do seu segundo mandato, em dezembro de 2010, contava com o recorde de aprovação e popularidade de 87%. Com um governo que promoveu o diálogo, o crescimento econômico, a inclusão social e a melhora da vida de todos os brasileiros não poderia ser diferente.