02 de maio de 2022

Início do mês, é chegada a hora de pagar os boletos, mas a conta não fecha. A vida do brasileiro está a cada dia mais difícil e muito, muito mais cara. As famílias brasileiras que já vivem no aperto, por causa da desastrosa gestão econômica de Bolsonaro e Paulo Guedes, enfrentam nova disparada dos preços, com o salário valendo cada vez menos e o poder de compra caindo mês a mês. Abril bateu novo recorde do endividamento das famílias brasileiras: 77,7% dos lares brasileiros estão endividados, um aumento de 10,2 pontos percentuais em um ano. As mentiras de Bolsonaro não pagam os boletos do povo brasileiro, mostram os números.

O maior impacto individual do índice no mês (0,44 ponto percentual) veio do preço da gasolina, que avançou 7,51% e bateu o recorde desde que a ANP (Associação Nacional do Petróleo) começou a divulgar a pesquisa mensal de preço há 18 anos – e isso tem mais a ver com a política de dolarização dos preços, além da venda da BR Distribuidora do que com o cenário internacional. O preço médio chegou a R$ 7,27 o litro. Ou seja, para encher um tanque de 40 litros, o brasileiro gasta em média 290 reais, quase 24% do salário-mínimo vigente no país, de R$ 1.212. Em 8 anos de Lula presidente, gasolina só subiu R$ 0,43.

O carrinho de supermercado quase vazio virou outro símbolo da destruição de Bolsonaro. A inflação dos alimentos que compõem a cesta básica superou 20% no acumulado de 12 meses, entre abril de 2021 e março de 2022. Ou seja: comer bem deixou de ser uma opção, e o preço dos alimentos ficou impagável. A constante alta no preço dos alimentos diminui o poder de compra do trabalhador.

E como faz para preparar o pouco que dá pra comer, quando o gás de cozinha virou artigo de luxo? Com preço médio de R$ 113,48, um botijão de 13 quilos custa 10% do salário mínimo e atinge a maior média real do século 21. Em algumas regiões, com preços acima da média – há localidades em que o botijão chega a R$ 160, o percentual supera em muito os 10% do salário mínimo.

+ Como denunciar mentiras e fake news do bolsonarismo

E para piorar: em abril, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), teve ganho acumulado de 14,66% nos últimos meses, 6,98% apenas neste ano, um percentual que é usado para reajustar locações. Isso para quem consegue pagar. Mesmo com uma decisão do Supremo Tribunal Federal impedindo desocupações durante a pandemia de covid-19, o Brasil registrou um aumento de 333% no número de famílias despejadas de suas moradias.

Entre março e agosto de 2020, um total 6.373 famílias ficaram desabrigadas. Agora, de acordo com balanço da Campanha Despejo Zero, até fevereiro de 2022, esse número saltou para 27.618 famílias. Outras 132 mil estão ameaçadas de despejo. O aumento é de de 602% na comparação com março de 2020, quando 18.840 famílias estavam com risco de perder suas casas.

Não temos inflação de consumo. Cerca de 50% da inflação de hoje são por preços administrados pelo governo. É energia elétrica, gasolina, óleo diesel e gás. Ou seja, preços que o governo poderia controlar e que não está controlando. […] São de responsabilidade do governo, então, que trate de baixar esses preços”.

Lula

É para esconder tudo isso que a milícia digital faz de tudo para intensificar seus ataques contra o sistema eleitoral, o Supremo Tribunal Federal, Tribunal Superior Eleitoral, os ministros das Cortes, as pesquisas eleitoras, a imagem, reputação e o legado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Não caia nessa! A estratégia deles de repetir 2018 e nos afogar em mentiras. 

+ Entre em um de nossos grupos de Whatsapp e torne-se um Agente da Verdade!

Participe de um dos nossos grupos fechados de Whatsapp de Agentes da Verdade e receba informações sobre com Jair Bolsonaro tenta deturpar a política nacional, confundir os debates e atacar a democracia. Todos foram criados e são operados de maneira orgânica, já que a adesão é feita de forma voluntária. Assim, é possível organizar ações, distribuir materiais para combater mentiras e se mobilizar por um debate público menos contaminado pelas distorções de informações da milícia digital. Além das vacinas, no nosso site você também encontra pacotes de figurinhas exclusivos para aderir a esse movimento contra as mentiras de Bolsonaro.

O caminho para a verdade é simples e conta com o apoio da nossa equipe. Os passos são os seguintes:

1 – Viu uma mentira?

Não a divulgue, nem para seus amigos mais próximos. Bolsonaro quer nos afogar nas suas falsidades. Saia dessa. Respire fundo, entre em https://lula.com.br/verdadenarede/ e busque uma vacina para as fake news que não param de pingar nos seus grupos de zap.

É só ir no campo de busca e digitar uma palavra marcante da notícia falsa.

Responda a mentira com uma verdade. O nosso site reúne o material das agências de checagem e conteúdo próprio. É preciso desmontar os argumentos falsos e as narrativas fantasiosas do bolsonarismo. Ao responder à mentira, encaminhe uma das vacinas, aproveite e já envie algumas das realizações dos governos do PT para gerar um debate produtivo e sem briga.

2 – Não encontrou uma vacina?

Denuncie a fake news com a qual você se deparou. Você pode fazer isso em nosso site, clicando no botão vermelho DENUNCIE AQUI. Produziremos novas vacinas a partir das novas cepas do bolsovírus. Além disso, nosso time jurídico irá avaliar a sua denúncia e, se for necessário entraremos em contato para maiores informações.

3 – Como seguir informado?

É só se cadastrar em um dos nossos grupos de WhatsApp. Eles estão na página inicial do Verdade na Rede. Estaremos sempre de olho. Procurando as mentiras que circulam nas redes e em grupos de WhatsApp e Telegram e trazendo a verdade.

Além disso, os grupos também serão espaço para trocar informações e técnicas para eliminar as fake news. Seja um agente da verdade!

Vamos neutralizar o Bolsovírus e respirar os ares da democracia e da verdade. Vacine-se contra as fake news. Embarque no nosso mutirão!